google-site-verification=XWm5-ie7jtuIvxhkMX9Z60iXSuGOt9EX7CNTQDtQJTY
 

 Ansiedade e Adolescentes

Não há como evitar: todos ficamos estressados ​​de vez em quando. O estresse é uma reação perfeitamente normal quando somos pressionados. É também uma resposta a circunstância exigente e o próprio problema que causa o estresse é chamado de "estressor". Uma vez que o estressor é removido, voltamos para um estado de funcionamento mais calmo.

Embora o estresse seja perfeitamente normal, o constante estado de estresse pode levar a uma série de problemas. Além disso, pode prejudicar nosso bem-estar físico e emocional. Aprender habilidades de enfrentamento saudáveis, como comer com saúde, repouso e exercício, podem ajudar na redução. Felizmente, o estresse não precisa ser um problema eterno. 

Aqueles que têm períodos crônicos e prolongados de estresse podem estar enfrentando algo mais problemático, como a ansiedade. Onde o estresse é uma resposta a um evento, a ansiedade é um estado emocional que ocorre quando não podemos prever o desfecho de uma situação e tememos o desconhecido. O estresse diminui com a ausência de um estressor, mas a ansiedade não se dissipa. É uma emoção constante e persistente que pode ou não estar relacionada a um estressor conhecido. A ansiedade pode ter um impacto severo no dia-a-dia do funcionamento e ter efeitos negativos graves sobre as relações pessoais.

Infelizmente muitas pessoas sofrem com ansiedade, e os adultos não são os únicos afetados por ela. Aproximadamente 8% dos adolescentes com idades entre 13 e 18 anos têm transtorno de ansiedade, com sintomas geralmente emergentes ao redor dos 6 anos de idade. Lamentavelmente, apenas cerca de 18% desses jovens recebem os cuidados de saúde mental que eles precisam.

A ansiedade é uma dessas condições que se manifesta de muitas maneiras, ou seja, medo, pânico, preocupação e isolamento. É uma emoção que pode levar sua vítima de pleno funcionamento a imobilidade. A ansiedade pode deixar os adolescentes vulneráveis, ​​sentindo e acreditando que eles estão destinados a viver uma vida de tristeza e desgraça. O que é preocupante é que muitos desses adolescentes não têm as ferramentas de que precisam para lidar com seus sentimentos ansiosos. Muitos podem recorrer à automedicação, por não saber outra maneira de aliviar a emoção.

 

Para ajuda-los, é importante voltar ao básico e garantir que eles estejam cuidando de sua saúde. O básico inclui:

1. Nutrição

Quando estressados, eles geralmente optam pela facilidade e conveniência que se traduz em comida-lixo. De acordo com a APA (The American Psychological Association), aproximadamente 23% dos adolescentes relatam pular uma refeição no mês, por causa do estresse e 39% admitem omitir refeições semanalmente. Os maus hábitos alimentares podem ter um efeito adverso em um corpo em desenvolvimento. Então, se queremos ajudar os adolescentes a enfrentar a ansiedade, temos que ensiná-los a comer bem e a cuidar do seu corpo.

2. Dormir

Não estão dormindo o suficiente e relatam dormir menos do que as 8 a 10 horas recomendadas. Em média, os adolescentes dormem 7,4 horas nas noites escolares e 8,1 horas em noites não escolares. E a falta de sono e estresse andam de mãos dadas. Aproximadamente 18% dos adolescentes relatam que, quando não dormem o suficiente, sentem mais estresse e 36% dizem que se sentem cansados ​​porque estão estressados. 

 3. Exercício

Não estão se exercitando regularmente. Na verdade, uma pesquisa descobriu que 1 em cada 5 adolescentes (20%) relatam se exercitar menos de uma vez por semana. De acordo com as diretrizes ACSM (O American College of Sports Medicine) e CDC (Centro de Doenças Transmissíveis), os adolescentes devem praticar pelo menos 60 minutos de atividade física por dia. A maior parte da hora deve ser dedicada à atividade aeróbia moderada a vigorosa. Infelizmente, pesquisas atuais mostram que apenas 1 em cada 4 jovens obtém a quantidade recomendada de atividade física.

   

Juntamente com o básico, eles precisam aprender habilidades para acalmar-se quando se sentem estressados ​​e ansiosos. Também precisam aprender habilidades de enfrentamento que podem construir sua confiança e autoestima. Por último, é importante que aprendam novas maneiras de pensar e interagir com suas emoções. 

Os adolescentes podem aprender a viver no momento presente, estar atentos às suas emoções e sentir mais controle sobre suas vidas. Como adultos, podemos ajudá-los  a entender as pressões sociais e mundiais que enfrentam e equipá-los com as habilidades que precisam para perseverar em momentos estressantes. A ansiedade é uma condição gerenciável e tratável e os adolescentes podem aprender a superá-la.

Eles não nascem com as habilidades que precisam para trabalhar com o estresse e ansiedade, antes precisam ser ensinados mecanismos de enfrentamento e, mais importante, praticá-los. 

Aqui está a boa notícia: uma vez que os adolescentes desenvolvam essas habilidades, levarão com eles durante o resto de suas vidas e, esperançosamente, serão transmitidos para a próxima geração.

Marque a sua consulta

Parabéns! Sua mensagem foi recebida.